Sábado, 12 de Setembro de 2009
Ter êxito

 

“Se A é igual ao êxito,

então, a fórmula é: A=X+Y+Z, onde:

X é trabalho,

Y é julgar, e

Z é manter a boca fechada”

(Albert Einstein)

 

 

 
 
 Poemas africanos
Fala dos feiticeiros: 
Podemos ver daqui a lua
e dentro da lua a tua sorte, Ozoro
aprenderás a caminhar de novo com as caravanas
e estás condenada às viagens, Ozoro
teus filhos nascerão nos caminhos
serão eles próprios caminhos
da Lunda
do Rio Grande
se o cágado não sobe às árvores, Ozoro
alguém o faz subir! 
Última fala de Ozoro antes da viagem: 
Amar é como a vida
Amar é como a chama do lugar 
que se consome enquanto se ilumina
por dentro da noite. 


Publicado por bitu às 19:09
link do post | comentar | ver comentários (13)

...

 

 

 

Cá estou regressada da Eslováquia, e da Áustria.

A viagem de ida  foi um bocado cansativa porque o voo atrasou 2 horas, ou seja, ficámos  cerca de 4 horas no aeroporto de Lisboa.

Chegámos a Viena cerca das 7 horas (a.m) locais (6 horas em Portugal). A cidade ainda estava meio adormecida. Seguimos de carro para Bratislava. De salientar que as nossas auto-estradas são superiores a todas aquelas por onde circulei. Por lá não se pagam portagens mas os automobilistas têm que comprar uns tickets (no mínimo 7) para a policia não “chatear”.Ao longo do percurso, fui olhando os campos. As montanhas só se avistavam ao longe. Nos arredores de Viena predominam as planícies , cultivadas com algum girassol e pouco mais. Animais, não avistaram nenhum.

Chegada a Bratislava fui a casa do meu genro, onde almoçámos e depois fui para o hotel (achei que éramos muitos para ficar lá em casa). Bratislava foi a cidade que mais me surpreendeu. A cidade ainda guarda em si muita beleza e simplicidade dos lugares onde não chegou a euforia do ocidentalismo apesar de grandes grupos de turistas que chegam diariamente à cidade, vindos, penso eu, nos cruzeiros do Danúbio. Amei a calma da cidade, a música nas ruas, os espectáculos na zona histórica da cidade. A  comida…isso é que foi o pior…ou comemos pizzas e lasanha ou passamos fome. A gastronomia na Eslováquia é à base de leite e batatas.  Para além de ser  muito caro, não atrai  nada. Pior que tudo é que não há pastelarias…não há um bolito que seja. Só os via a beber café e cappuccino….Para completar a estadia, fui ao futebol. O genro jogou e eu que nem gosto de futebol,vi-me a torcer e a aplaudir o Slovan.

Apesar de ficarmos em Bratislava, dois dias foram dedicados a Viena.

Visitar a cidade excedeu as minhas expectativas sem sombra de dúvida, além de ter sido capital de um grande império, onde ainda hoje esses vestígios existem, é um país que foi bombardeado na 2ª. guerra mundial e se reconstruiu com coragem.

Quer numa quer noutra cidade, as pessoas andam muito de bicicleta, passeiam nos parques e jardins e, segundo me pareceu, não fumam muito. As ruas são limpas, não se vê mendicidade, há respeito no trânsito, há muito espaço seguro para peões e bicicletas( em Bratislava é tolerância zero para os automobilistas).

Amei tudo….quase tudo (- a comida. Não há como a nossa).

Tirei imensas fotos e espero voltar

 

 



Publicado por bitu às 19:08
link do post | comentar

Temas Recentes

Não é lamechice - é mesmo...

Ter êxito

...

Bratislava...onde o Pib c...

Água e Sabão: Contra as B...

Alentejo...sempre belo!

"pinceladas" emocionais :

“Resiliência é uma capaci...

Parabéns minha irmã! Te a...

Solidão!

Arquivos

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008